• Os desafios do vestibulando de Medicina cresceram significativamente nas últimas décadas. No início dos anos 1980, a Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) unificava os vestibulares das renomadas faculdades de Medicina da USP São Paulo, USP Ribeirão Preto, Unifesp, Unicamp e Unesp.

    Nessa época o aluno poderia decidir quais seriam suas 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª opções de curso. Assim, a preparação era mais objetiva, e o aluno, com apenas um único vestibular, podia concorrer às vagas nas grandes escolas públicas de Medicina do estado. Atualmente, o sistema de seleção não é mais unificado, e muitas faculdades públicas de Medicina têm um sistema individual e distinto de seleção.

    Imagen - Manual da Fuvest 1980

    Manual da Fuvest 1980 disponível em http://www.fuvest.br/vest1980/manual/manual.stm

    Há também faculdades públicas do Estado de São Paulo, como a Faculdade de Medicina de Marília (Famema) e a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), que possuem vestibulares próprios e com características muito particulares. Todas essas diferenças dificultam a rotina dos vestibulandos, tornando a preparação mais complexa por causa dos estilos e pesos diferentes de cada prova.

    Durante o ano de preparação na turma Medicina do Poliedro, os professores realizam uma preparação focada nos vestibulares de Medicina do estado e, durante as aulas, especificam as matérias que apresentam maior incidência em cada prova e as particularidades de cada exame.

    A coordenação expõe e explica aos alunos, em salas de aula, as diferenças entre os vestibulares, as novidades, as alterações dos editais e as estratégias de estudo para ser bem-sucedido em cada um desses exames, além de fornecer outras recomendações essenciais para a aprovação.

    Veja a seguir as caraterísticas dos principais vestibulares de Medicina:

    • Fuvest

      • A Fuvest realiza o vestibular para a Faculdade de Medicina da USP São Paulo (Pinheiros), USP Ribeirão Preto e Santa Casa. O Enem não é utilizado nesse processo. A média final é composta da média aritmética de 4 dias de prova:
        • 1ª fase (eliminatória): 90 questões objetivas de todas as matérias
        • 2ª fase – dia 1: 10 questões dissertativas de Literatura e Português e uma redação no formato de dissertação
        • 2ª fase – dia 2: 16 questões de todas as matérias, exceto Português
        • 2ª fase – dia 3: 12 questões dissertativas de conhecimentos específicos
        No terceiro dia, acontece a prova dissertativa de conhecimentos específicos, que é diferente entre as faculdades de Medicina da USP. Enquanto a USP Pinheiros exige as provas de Biologia, Física e Química, a USP de Ribeirão Preto exige Biologia, Geografia e Química.

        Essa diferença nas disciplinas de Física e Geografia exige uma preparação distinta e impossibilita o aluno de escolher entre 1ª e 2ª opção nessas faculdades. Porém, os alunos que deixam, como 1ª opção, a USP Pinheiros podem colocar, como 2ª opção, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa. Além disso, as provas de Português e Redação exigem muita atenção, pois o critério e rigor nas correções são muito elevados.
    • Unifesp

      • A Fundação Vunesp é responsável pelo vestibular da Unifesp. Criada oficialmente em 1994, a Unifesp originou-se da Escola Paulista de Medicina (EPM), entidade privada fundada em 1933 e federalizada em 1956. Atualmente, a média final do vestibulando é composta da média de 3 provas:
        • Enem (somente a quantidade bruta de testes, não é considerada a redação e não é utilizado o método TRI).
        • Provas de Português, Inglês e Redação. São 30 questões objetivas de Língua Portuguesa, 15 de Inglês e redação no formato de dissertação.
        • Prova de conhecimentos específicos com 20 questões dissertativas, envolvendo as matérias de Biologia, Química, Matemática e Física.
    • Unicamp

      • O vestibular da Unicamp é realizado pela Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest). Em 2014, a universidade aplicou significativas alterações na aplicação das provas e, desde então, utiliza para o cálculo de média final do aluno:
        • 1ª fase: 90 questões objetivas de todas as matérias, incluindo Filosofia e Sociologia
        • 2ª fase: 3 dias de provas dissertativas
            •  Dia 1: Português e Redação. A redação não segue os moldes tradicionais da
               dissertação, pois aborda gêneros textuais discursivos diversos
            •  Dia 2: Matemática, História e Geografia
            •  Dia 3: Física, Química e Biologia
        Para cada dia de prova o peso por matéria na nota final pode variar dependendo do curso escolhido. Além disso, a cada dia de prova, as notas também variam por causa de uma padronização, que consiste em uma mudança de escala baseada na média e no desvio-padrão de cada prova. Dessa forma, é possível evitar que uma prova muito difícil, em um determinado ano, faça diferença no desempenho dos candidatos.
    • Unesp

      • A faculdade de Medicina da Unesp , localizada na cidade de Botucatu, também tem o seu vestibular organizado pela Fundação Vunesp. A média final é calculada por meio de uma média aritmética entre dois conjuntos de provas:
        • 1ª fase com 90 questões objetivas de todas as matérias, incluindo Filosofia e Sociologia
        • 2ª fase com 2 dias de provas dissertativas, sendo um dia com questões de Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) e outro com questões de Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia) e Matemática
        Pela característica do vestibular, os alunos que têm mais afinidade com as Ciências Humanas e uma boa base em Filosofia e Sociologia apresentam maior vantagem competitiva. Nesse modelo, um bom desempenho na prova da 1ª fase tem se mostrado importante para a aprovação em Medicina, já que representa 50% da nota final.


    Rodrigo Fulgêncio
    Coordenador da Turma Medicina
    Sistema de Ensino Poliedro

Assuntos Relacionados